Decomposição dos objetivos ou como ganhar mais dinheiro

Como ganhar mais dinheiro? Por alguma razão, a nossa sociedade tem vergonha em falar sobre o dinheiro. Todos nós nos sentimos desconfortáveis em perguntar ao nosso amigo ou colega quanto é que ele ganha. Entretanto, para os empreendedores, o dinheiro é o KPI que está diretamente relacionado com o seu sucesso.

Se traduzirmos esta afirmação metafísica para os factos, o dinheiro mede a eficácia da passagem do ponto A para o ponto B.

Ponto A

Dos sonhos às ações, até os concretizares tudo isto é o teu caminho, do ponto A (estado atual) até ao ponto B (estado desejado). A vida e o desenvolvimento são o movimento constante entre estes dois estados. Quando alcanças o ponto B ele torna-se um novo ponto A. Estabeleces um novo objetivo. É tal e qual como subir as escadas.

Nos negócios, pontos A e B devem ser medidos com base nos resultados monetários. Eu ajo para gerar dinheiro: lanço o site, envio a newsletter segmentada, faço melhorias ao produto… O resultado é o reflexo das minhas ações.

O ponto A é a quantia de dinheiro que tu geres por unidade de tempo através dos métodos disponíveis. Normalmente expressamos um valor por mês e os métodos para obtê-lo podem ser diferentes: salários, subsídios, pensões, dividendos,…

Para o empreendedor o ponto A é o dinheiro que ele consegue retirar do seu negócio sem o prejudicar. Não é a receita, nem o lucro. Não é um montante que será depois dividido entre vários parceiros. Esse dinheiro pode ser livremente alienado e está livre de quaisquer obrigações.

Se já tens algum negócio, fazes freelance ou trabalhas por conta de outrem, pega numa folha e escreve o teu ponto A. Soma todos os ganhos de um ano e divide por 12 meses para obter um valor médio e compensar as oscilações mensais.

Sê franco contigo mesmo. Antes de começares o movimento é necessário reconheceres o teu estado atual. Escreve mesmo: “Atualmente faço X por mês. Quero fazer mais, mas não sei como.”

Falámos do estado atual. Ficou claro? Agora: estado futuro.

Ponto B

O ponto B é o fluxo de dinheiro que queres atingir até uma determinada data. Não é apenas dinheiro, mas uma nova realidade no teu desenvolvimento, novas oportunidades que tu terás.

Como definir o ponto B? Se já és empreendedor ou freelancer e tens o teu modelo de negócio definido, podes facilmente multiplicar o valor atual por 2, 3 ou 5 vezes. Este será o teu ponto B.

Se ainda estás a começar, o ponto B deverá ser um valor que passe a tua barreira psicológica. Por exemplo, duplicar o ponto A é uma tarefa difícil, mas exequível.

O ponto B é o objetivo para 2 a 4 meses. Este é o espaço temporal em que o nosso cérebro consegue entender e planear as tarefas. Vais ter que fazer ações novas que não fazias antes. Por exemplo, se nunca te preocupaste com as tuas redes sociais e com as leads qualificadas, vais ter que fazer isso agora. Para alcançar o objetivo imposto, vais precisar de passar para um nível diferente e agir de uma nova forma, obter novos conhecimentos, integrar novas ferramentas, conhecer e construir relação com novas pessoas.

Por exemplo, se nunca te preocupaste com as tuas redes sociais e com as leads qualificadas, vais ter que fazer isso agora. Para alcançar o objetivo imposto, vais precisar de passar para um nível diferente e agir de uma nova forma, obter novos conhecimentos, integrar novas ferramentas, conhecer e construir relação com novas pessoas.

Delta

Quando definimos os dois pontos A e B, a diferença entre eles é o aumento do teu income atual. Este valor do aumento chama-se delta – Δ.

B – A = Δ

Delta é a expressão matemática do teu desenvolvimento. É o dinheiro que não ganhavas antes. Pensa em que é que vais gastá-lo como uma forma de agradecimento a ti mesmo pela conquista. Esta visualização é extremamente importante.

Ao impores o objetivo deste uma ordem ao cérebro para gerar a energia necessária para assumires novos riscos e agires de uma nova forma. O cérebro gerou a energia e tu alcançaste o objetivo desejado. Boa! Agora, se não demonstrares gratidão mas reinvestires o dinheiro no negócio, ou se o gastares em algo banal como por exemplo numas obras em casa, o teu cérebro vai recusar a tua ordem da próxima vez.w Seguem-se a preguiça e a apatia.

Estuda o cérebro e a motivação. Encontra coisas que são emocionalmente significativas para ti. Coisas que te inspiram hoje, já. Algo que querias muito e não podias fazer/ter por questões financeiras no ponto A, mas que assim que chegues ao ponto B já vais conseguir.

Decomposição

É difícil para um ser humano começar a agir quando o objetivo é distante e demasiado ambicioso pela frente. O nosso cérebro precisa de pequenos e compreensíveis passos com indicadores de sucesso mensuráveis. Para os identificar é feita a decomposição do objetivo. É o pensamento do futuro para o presente.

Imagina que atingiste o teu objetivo. Agora, recua um passo dele e pensa: o que tens que fazer para chegar ao objetivo? Recua mais um passo e faz a mesma pergunta. Mais um passo, … e assim sucessivamente até chegares ao momento agora.

Por exemplo, digamos que dou aulas de surf. Cada aula custa €50. Deste montante, após o pagamento dos alugueres e dos impostos fico com €25 por aula, para mim. Quero comprar um carro que custa 25.000€ daqui a 4 meses.
25.000€ são 1.000 aulas dadas. Como posso dar estas 1.000 aulas? Provavelmente irei:
a) Usar as redes sociais para angariar clientes.
b) Contratar mais uma, duas ou três pessoas para me ajudarem a dar aulas de surf.

Isso é pensar do futuro para o presente, do objetivo para o estado atual. A decomposição pode ser expressa através de seguinte fórmula:

D x N = ponto B

D – quantidade de dinheiro que tu recebes por cada negócio fechado. Não é o preço do serviço/produto, nem é uma margem da empresa. Este é o valor de cada transação, livre de quaisquer obrigações e descontos.
N – quantidade de negócios fechados.

Esta fórmula vai ajudar a simplificar a forma de pensar no negócio, reduzindo-o a uma simples pergunta: quantos visitantes devo ter no meu site, ou quantas reuniões devo realizar por semana, para atingir o meu ponto B?

Simples, não é? Assim, o cérebro consegue mais facilmente perceber a tarefa imposta e fornecer a energia necessária para alcançar o objetivo dentro da nova realidade do teu desenvolvimento.

Cada setor tem regras próprias. Portanto, recomendo que pegues numa folha de papel e decomponhas o teu caso. Assim que perceberes as tuas variáveis D x N, vais perceber o que terá que ser feito para atingires o teu ponto B.

Agir

Resta apenas fazer as ações necessárias. A princípio o ponto B vai parecer inatingível, mas ao dividires a tarefa em etapas mais pequenas e compreensíveis para o cérebro vais ganhar a capacidade de agir.

Para passar de A até B é preciso definir uma tarefa por semana. Deverá ser:
a) Compreensível para o cérebro
b) Ter a importância suficiente para te alavancar. Uma semana depois, avalias o progresso, fazes os ajustes e defines a próxima tarefa ressonante. E assim sucessivamente, até chegares ao ponto B.

Chegar ao ponto B é possível em virtude da autoconsciência e da força de vontade. Nunca paras! Lembra-te que qualquer pessoa consegue alcançar qualquer estado. Desenvolve-te! Quando chegares ao ponto B faz dele um novo ponto A.

O caminho torna-se mais fácil com o primeiro passo dado. Não tenhas medo.

Vemo-nos no ponto B!

O artigo foi útil? Partilha com os colegas e amigos👍

Comentários